textos

diárias de bordo

Projeto Diário ABsurdos

Projeto Diário ABsurdos
15/06/2021

Desenhos de Marcelo Maria de Castro Textos de Oscar D’Ambrosio

Notícia de 15/6/2021: https://www1.folha.uol.com.br/colunas/desigualdades/2021/06/a-desigualdade-mata-estamos-cansados-de-ter-um-alvo-nas-costas.shtml?utm_source=mail&utm_medium=social&utm_campaign=compmail

O texto “Desigualdades: A desigualdade mata: estamos cansados de ter um alvo nas costas...” traz à tona as diferenças nas quais o país está mergulhado. Elas envolvem questões econômicas, sociais e raciais, entre muitas outras. A imagem de Marcelo Maria de Castro coloca um círculo que remete a um relógio, com ponteiros comuns e com cruzes no lugar de alguns dos minutos, como índice da passagem do tempo que leva à morte. Do outro lado, há uma outra cruz, isolada. Entre esses dois ícones, uma figura negra, vergada, portanto, literalmente, não entre a cruz e a espada, mas entre a morte e o tempo.  A questão das desigualdades interfere – e muito – na forma que cada um lida com essas duas variáveis. A morte é inevitável para todos, mas se tona mais próxima, para muitos, em função de algumas variáveis que poderiam ser melhor controladas em uma sociedade mais justa e igualitária.

Oscar D’Ambrosio